8 exames de saúde para fazer com seu filho assim que ele nascer

Desde a gestação, as mamães procuram seguir à risca todos os cuidados para que seus bebês se desenvolvam da forma mais saudável; mas isso não acaba na hora do nascimento. As orientações sobre a saúde da criança passam pelos primeiros dias, os primeiros meses e seguem, principalmente, pelos primeiros anos de vida da criança.

Para proteger os recém-nascidos desde o início, esses cuidados devem começar antes de se deixar a maternidade, com os exames de saúde. E, quanto mais cedo forem realizados, melhor será: caso haja algum diagnóstico preocupante, será possível já tomar as primeiras providências.

Desses exames, o mais lembrado é o teste do pezinho, que é obrigatório e deve ser feito até 48 horas após o nascimento — mas ele não é o primeiro. Realizado logo após o parto, o teste de Apgar avalia a cor da pele, a frequência cardíaca, a respiração, os reflexos e a formação da musculatura do recém-nascido. Cada item recebe uma nota, que vai de zero a dois e indica se está tudo dentro da normalidade.

Após o teste de Apgar, ainda outros exames de saúde devem ser realizados. Alguns são feitos de forma obrigatória nos hospitais e maternidades, enquanto os outros devem ser solicitados pelos próprios pais. Para ficar pode dentro do assunto, confira agora a lista de 7 exames que seu filho deve fazer logo após o nascimento!

Teste do pezinho básico

Também conhecido como triagem neonatal, o teste do pezinho é um dos exames de saúde obrigatórios, e é realizado com uma amostra de sangue coletada do calcanhar do bebê, ou, se necessário, de uma veia. Em resumo, o exame diagnostica quatro importantes aspectos:

  • deficiência no metabolismo, que pode provocar retardo mental (PKU ou fenilcetonúria);
  • doença na tireoide, que pode afetar o desenvolvimento da criança (hipotireoidismo congênito);
  • doença hereditária que provoca acúmulo de muco nos pulmões e no pâncreas (fibrose cística);
  • doenças do sangue (hemoglobinopatias).

O exame do pezinho básico deve ser feito até 48 horas após o parto. Uma recomendação dos médicos é que o bebê seja amamentado antes do exame, pois o leite materno facilita o diagnóstico, podendo evidenciar alguns problemas metabólicos.

Teste do pezinho ampliado

Diferentemente do exame do pezinho básico, o exame do pezinho ampliado não é obrigatório. Porém, como o nome já indica, ele pode avaliar a presença de até 30 doenças diferentes, incluindo problemas genéticos e metabólicos.

O objetivo desse exame de saúde é detectar precocemente doenças que podem afetar o desenvolvimento físico e intelectual da criança. O exame do pezinho ampliado pode ser feito até 48 horas após o nascimento, e também é recomendado que o bebê seja amamentado antes da coleta.

Identificação da tipagem sanguínea

Essencial para emergências médicas, a identificação do tipo de sangue (A, AB, B, O) e seu fator RH (positivo ou negativo) também é importante para detectar se o bebê terá algum problema de incompatibilidade sanguínea com a mãe. O teste é realizado por meio das amostras colhidas no teste do pezinho e também deve ser feita até 48 horas após o nascimento.

Teste da orelhinha

O teste verifica, por meio de um equipamento similar a um fone de ouvido acoplado a um computador, se o bebê escuta perfeitamente. Para isso, o equipamento gera estímulos inaudíveis, mas que possibilitam o diagnóstico de surdez.

Se detectadas de forma precoce, as doenças auditivas podem ter uma melhor reabilitação e serão menos prejudiciais no desenvolvimento da fala da criança. Esse exame de saúde também é obrigatório, e deve ser feito após dois dias do nascimento.

Teste do olhinho

Simples, rápido e indolor, o exame do olhinho é realizado com um oftalmoscópio e não é obrigatório em todas as regiões do país, mas é muito importante, pois serve para verificar a presença de catarata congênita e possíveis tumores. É indicada a realização do exame na primeira semana de vida.

Durante o exame, o oftalmoscópio — tipo de lanterna com lentes especiais — é posicionado a 30 cm de cada olho do bebê e lança um feixe de luz na pupila. Se o reflexo vermelho for visto facilmente, de forma homogênea e simétrica, significa que a visão do bebê está normal. Se não houver reflexo, o recém-nascido deverá ser encaminhado para um oftalmologista.

Teste do coraçãozinho

Popularizada como teste do coraçãozinho, a oximetria de pulso possibilita diagnosticar se o bebê possui alguma doença grave no coração, como malformação congênita e cardiopatia. Nos casos em que o resultado é positivo, o bebê também é submetido a outros exames, como o ecocardiograma, para confirmar o diagnóstico.

Esse é outro dos exames de saúde que deve ser feito entre 24 e 48 horas, e também é simples e indolor: basta medir a oxigenação do sangue e os batimentos cardíacos do recém-nascido com o auxílio de um oxímetro — uma espécie de pulseira colocada em dois membros do bebê. A porcentagem de oxigenação deve ser igual ou superior a 95%, abaixo disso, indica um risco de doença no coração.

Teste do quadril

Este exame pode ser feito ainda na maternidade, e consiste na avaliação dos movimentos das pernas e do quadril do bebê por meio das técnicas Teste de Ober, Teste de Patrick-Faber, Teste de Ortolani, Teste de Galeazzi, Teste Provocativo de Barlow e Teste de Tendelenburg. Cada um desses testes simula um tipo de movimento avaliado pelo médico.

O exame não é obrigatório em todas as regiões do país, mas é fundamental para a constatação de problemas no quadril e pernas. Entre as doenças diagnosticadas, está a osteoartrose precoce, que destrói a cartilagem que reveste o osso, e o encurtamento de membros.

Vacinas necessárias

Além dos exames de saúde, as vacinas também têm um papel essencial na prevenção de doenças para crianças, e seus benefícios seguem até a vida adulta. Para os recém-nascidos, duas vacinas são obrigatórias: a BCG e a da Hepatite B. Já as outras vacinas deverão ser tomadas posteriormente e periodicamente, conforme o calendário de vacinas vigente.

BCG

Aplicada sempre no braço direito, a BCG deve ser dada ainda na maternidade, preferencialmente nas primeiras 24 horas de vida. Essa é a famosa vacina que causa cicatriz, pois provoca a formação de uma bolha de pus, vermelhidão, crosta e, por último, um sinal permanente. Ela é muito importante, pois protege o recém-nascido contra meningite tuberculosa — mas não protege da tuberculose pulmonar.

Hepatite B

Outra vacina realizada logo após o nascimento é a da Hepatite B. A primeira dose deve ser aplicada ainda na maternidade, e as demais seguem o esquema de 1, 2 e 6 meses, protegendo a criança da hepatite B por toda a vida.

E então, gostou dessas dicas sobre exames de saúde para o bebê? Em caso de dúvidas, consulte sempre o médico que acompanhou seu pré-natal para verificar possíveis particularidades da saúde do seu filho. E aproveite também para conferir a importância da atividade física para o desenvolvimento infantil!

8 exames de saúde para fazer com seu filho assim que ele nascer
5 (100%) 1

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *